INÍCIO, FIM E MEIO

O meio do fim.

O fim do meio, justifica o fim, do meio.

Meio-fio, fio da navalha.

Navalha afiada, língua aguda.

Cagada dispensada.

Ítalo navalha. Dinheiro do meio, meio do fim.

Agora já era. Era do medo.

Tempo da solidão.

Templo de Salomão.

Dinastia interrompida.

Dinastia apagada. Faraó sem lápide.

Epitáfios apagados por povos e homens honrados.

Honrados sejam os trabalhadores.

Trabalho.

Honrado.

Anonimo é o ácido.

Fétido é o falar do desmembrado descabeçado. Sem pensar é umbigo.

O ralado anônimo é verme que come Faraó apagado.

Publicado por Bigbossladov

Escritor amador. Amado Batista. Corneteiro. Humorista. Existencialista. Musica brega, rock, pop, literatura, psicologia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: